domingo, 16 de outubro de 2011

CASO CLÍNICO 04: EDEMA DE MEMBRO SUPERIOR

CASO CLÍNICO 04: EDEMA DE MEMBRO SUPERIOR

Paciente portadora de esclerose múltipla (S I C) e insuficiência  renal crônica (I R C).
Iniciou na hemodiálise há mais ou menos três meses, com cateter duplo lúmem em veia subclávia esquerda. Foi avaliada  pelo médico vascular, que pediu exame (Doppler venoso), pois suas veias eram profundas. Na primeira tentativa de cirurgia foi confeccionada uma fístula radiocefálica, a qual entrou em falência após três dias.

Na segunda cirurgia foi realizada uma fistula braquiocefálica no membro superior esquerdo. A fístula estava ótima. O frêmito e o sopro também eram bons. Na mesma semana em que a fístula foi confeccionada, apareceu um edema no membro superior esquerdo no mesmo lado que a fístula foi confeccionada. O cateter foi retirado devido ao edema e colocado outro cateter no lado oposto ao da fístula.

A fístula foi puncionada com cinqüenta dias. Utilizada agulha n: 17G na primeira punção. Nas outras punções usado  agulha  n: 16G. O edema após a punção reduziu muito pouco. Devido à falta de melhora do edema, o médico vascular sugeriu a realização de outro Doppler venoso. Ele estava suspeitando de oclusão ou estenose de veia central. Foi iniciada fisioterapia desde quando foi confeccionada a fístula, utilizando exercícios ativos e outras atividades da cinesioterapia. A drenagem neste caso não resolveria por se tratar de um edema venoso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário